google-site-verification=kKEPfQI2LVXHBKmDv21Paf0gq3O6lozeNsoisE6DWhk
 
  • Renata Quirino

O que significa Igreja em “saída” proposta pelo Papa Francisco?

Na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, o Papa Francisco, usando uma linguagem brilhante, convoca a Igreja a uma sincera conversão pastoral; convoca a Igreja a superar o comodismo e o fechamento para ser uma Igreja “em saída”.

Sair para qual direção?



O Papa é claro e objetivo: “Sair em direção dos afastados, dos excluídos (...) sair em direção às periferias humanas (EG46). Uma Igreja fechada em seus muros e dogmas, na visão do papa, não corresponde às exigências do Evangelho. É preferível, para Francisco, “uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças” (EG49).


Não há aplausos nem glórias para aqueles que andam nas estradas acidentadas e enlameadas que compõem o cenário de milhares de desamparados. Todavia, por estas estradas percorreu Jesus Cristo.


A Igreja em “saída”, desejada pelo Papa Francisco, significa uma Igreja que, desprovida de poder, ostentação e discriminação, acolha os seus fiéis e vá ao encontro daqueles que fazem a amarga experiência da exclusão e do abandono. O Papa também nos relembra que a Igreja somos nós; assim, “somos chamados a esta nova saída missionária” (EG20).


É desejo de Cristo - e também do Papa - que a Igreja em saída seja formada por cristãos que, por amor a Deus, possam ir ao encontro dos esquecidos e rejeitados na sociedade.

0 visualização0 comentário